• Equipe Mulher da Palavra

É possível ser sincero, mas errado? Parte 1. por Nelson Galvão



Uma vez entrei em uma rua na contramão, sem saber que era contramão. De fato, estava desatento e não vi as placas. Era uma pequena rua, que serviria para pegar uma avenida. No final da rua, tinha uma viatura e o guarda com surpresa e ironia me parou e me perguntou: “O senhor não sabe que está na contramão? ”. Eu respondi: “Seu guarda, sinceramente? Não vi placa nenhuma! ”. Eu fui sincero, mas estava errado, por isso fui multado!

Vivemos um tempo em que a sinceridade justifica tudo e todos. Não importa no que se creia, contando que seja sincero. Não importa qual relacionamento que se tenha, contanto que seja sincero. Não importa o que se faça, contando que seja com sinceridade.

Entretanto, o que será que as Escrituras dizem a respeito? Será que ela enaltece a sinceridade, até mesmo em detrimento à verdade?

Saulo era um homem sincero, mas errado.

Saulo jamais poderia ser chamado de desonesto. Essa não era a questão quando se tratava de Saulo. Ele mesmo fala de seu passado ressaltando o seu zelo em sua fé. Em sua carta aos Gálatas, ele afirma: “Pois já ouvistes como era o meu procedimento no judaísmo, como eu perseguia violentamente a igreja de Deus, tentando destruí-la. E no judaísmo eu ultrapassava a muitos da minha idade ente meu povo, sendo extremamente zeloso das tradições de meus antepassados”. (Gl 1.13,14)

Aos Filipenses ele escreve: “Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu, quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível”. (Fl 3.5,6)

É evidente que tratava-se de um homem com convicções fortes a respeito da fé, a ponto de estar disposto a matar e morrer por ela.

Entretanto, a despeito de sua sinceridade, estava errado quanto ao que pensava em relação a Jesus. Escrevendo a sua 2 carta aos Coríntios afirma que “conhecia a Cristo segundo os padrões humanos” (2 Co 5.16). Isso significa que, embora fosse sincero, estava errado, pois considerava Cristo um impostor.

Provérbios tem algumas afirmações muito fortes quanto a isso. Vejamos Pv 14.12: “Há um caminho que ao homem parece correto, mas o fim dele conduz à morte”. Vejamos também Pv 16.2: “Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o Senhor pesa o Espírito”, no vs 24: “Há um caminho que parece direito para o homem, mas o fim dele conduz à morte”. Por fim, Pv 21.2 diz: “Todo caminho do homem lhe parece correto, mas o Senhor sonda os corações”.

Perceba que todos os textos mencionam aquele homem que acredita que o que faz e como faz está correto, mas está errado.

Como é possível? Como pode ser possível ser sincero, mas errado? O próprio Saulo, depois chamado de Paulo, responde a essa pergunta. Ele diz que “o deus deste século cegou a mente dos incrédulos, para que não vejam a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus” (2 Co 4.4).

Estão cegos, esse é o problema! Mas, preste bem atenção no texto. Não estão cegos por causa de um acidente, mas porque são “incrédulos”. Porque negaram a verdade. Essa é a mesma afirmação de Paulo aos Romanos. No cap 1.18ss, Paulo diz que Deus está irado com os homens, porque estes, embora tenham a revelação geral, a negaram, negando o Criador. Assim, Deus os entregou à impureza sexual (Rm 1.24), à paixões desonrosas (Rm 1.26), à uma mentalidade condenável (Rm 1.28). Perceba, a uma forma de pensar e agir errada! Mesmo como crentes, já salvos através da fé em Jesus, redimidos, justificados, somos desafiados a um processo continuo de renovação da mente (Rm 12.1,2), onde deixamos de nos parecer com o mundo e nos parecemos cada vez mais com o Senhor Jesus. 

Quem sabe você também, assim como Paulo, não seja um sincero, mas errado? Talvez você seja aquela pessoa que procura fazer tudo certinho e acha que pelos seus próprios méritos pode merecer a salvação. Ou mesmo seja como inúmeros crentes que sinceramente acham que a oração de madrugada vai lhes trazer algum tipo de favorecimento especial de Deus; ou aqueles que acham que a abstinência de algum alimento lhes fará estar mais perto do Senhor. Soube de alguém que estava sinceramente cansada de seu casamento fracassado e decidiu deixar seu marido porque “tinha o direito de ser feliz”. Existem inúmeros pais frustrados com a educação de seus filhos e se perguntam: “Onde foi que eu errei?”. Eu mesmo, como pastor, em meu primeiro ministério, agi de forma sincera, imaginando estar fazendo a coisa correta, mas a minha prática eclesiástica estava distante das Escrituras. Todos esses casos, inclusive eu, e tantos outros que poderia citar aqui, são de pessoas sinceras, mas erradas. No próximo texto vamos ver como o gracioso Deus tratou com Paulo, um sincero, mas errado.

 Nelson Galvão

Sola Scriptura




Nelson é casado com Simone desde 1997 e eles têm um filho. Ele é formado em História e Teologia, pós-graduado em Administração Escolar e mestre em Educação (PUC-SP). Atualmente faz mestrado em Teologia do Novo Testamento no Seminário Bíblico Palavra da Vida- Atibaia, SP. 

É pastor interino da Igreja Batista Sião (São José dos Campos-SP) e atua como diretor acadêmico do ministério Pregue a Palavra. 

Atua ainda como coordenador do grupo do Pregue a Palavra de Cuba e como professor convidado da Escola de Pastores PIBA.

#NelsonGalvao #Pastorais #Serie

0 visualização

11 4412-6679

"FALA COM SABEDORIA E ENSINA COM AMOR."

Proverbios 31:26