• Equipe Mulher da Palavra

Há Esperança em Tentar Novamente

por Monica Hall |



Há alguns dias atrás, eu vi uma placa em uma igreja que, primeiro me fez rir, mas depois fez com que eu me contorcesse por dentro. “Que todos os seus problemas possam ser tão breves quanto as suas promessas de Ano Novo”. Eu achei bonitinho até que percebi o quanto aquilo era verdadeiro. Vejam, talvez como muitas de vocês, eu fiz algumas promessas esse ano. Estabeleci metas em diversas áreas e até as dividi em pequenos passos mensais com a esperança de que, até o final do ano, meu objetivo principal fosse atingido. E, talvez como muitas de vocês, eu me dei conta, no primeiro dia de fevereiro, que infelizmente tinha passado o primeiro mês sem cumprir os pequenos passos estabelecidos para ele.


Infelizmente, isto não aconteceu somente comigo; pode ser que tenha acontecido com você também. Todos nós já ouvimos as piadas sobre as academias estarem lotadas no mês de janeiro, porém vazias em dezembro, e também sobre a poeira que sai das prateleiras quando a Bíblia é tocada pela primeira vez em meses – porque a cada ano nós pensamos “dessa vez eu realmente cumprirei a meta”.


6 Verdades Que Lhe Darão Esperança


Houve um tempo em que eu era contra toda essa ideia de promessas de ano novo, mas na maioria dos anos eu estabeleço metas, e na grande maioria eu não as cumpro. É desanimador, para ser honesta. Este ano, eu fui particularmente desencorajada. Por que eu continuo tentando alcançar as mesmas metas se, por décadas, eu continuo fracassando? Eu estava exausta e não queria falhar novamente. Então, este ano eu resolvi me concentrar no “por que” e não no “o que” das promessas. Por que continuamos tentando e tentando se continuamos fracassando e fracassando? O Senhor me mostrou algumas respostas em Sua Palavra, e nessas respostas eu encontrei esperança para tentar novamente.


1. As misericórdias se renovam a cada manhã.


“Todavia, lembro-me também do que pode me dar esperança: Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a tua fidelidade! Digo a mim mesmo: A minha porção é o Senhor; portanto, nEle porei a minha esperança.” (Lm 3: 21-24)


Todo dia é um novo dia, uma outra chance de começar de novo, um dia no qual ainda não falhamos. Uma das minhas personagens literárias favoritas, Anne Shirley, conhecia a beleza de um novo dia, pois disse: “Não é bom pensar que amanhã é um dia em que ainda não erramos?”


Deus nos promete que Suas misericórdias nunca acabarão, elas se renovarão a cada manhã, e podemos ter esperança nisso. As falhas de ontem não precisam reger o dia de hoje. Um novo dia pode iniciar uma nova trajetória em direção às metas, ao invés de desviá-las. Seja 1 de janeiro, 8 de fevereiro, ou mesmo em algum momento de novembro, ainda é uma outra chance de começar de novo, contando com as misericórdias e com o amor prometidos do Senhor.


2. A Salvação nos permite esquecer o passado e avançar para o que está adiante.


“Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.” (Fp 3:13-14)


O seu passado pode ser cheio de falhas, pecado e sofrimento. Você pode ter lutado com o seu velho fardo ano após ano. Mas uma coisa que as novas misericórdias nos dão liberdade para fazer é eliminar esse peso do passado. Nossa salvação em Cristo destruiu as amarras do nosso fardo, e ele não precisa mais ser um peso para nós. Podemos olhar para frente, em vez de para trás, e podemos começar a avançar.


Eu amo a palavra “avançar” aqui – Paulo reconhece que esse progresso não é fácil. Sua linguagem é a de um corredor que está avançando para o final de uma corrida. É difícil, e isso envolve cada gota da nossa energia, mas existe uma recompensa no final.


3. Vale a pena continuar fazendo o bem, mesmo se estivermos abatidas.


“E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos.” (Gl 6:9)

Assim como o versículo de Filipenses, nós vemos aqui que, mesmo que a jornada seja difícil e cansativa, existe uma recompensa digna. Aqui simplesmente diz que vamos colher. O versículo anterior nos diz que o que colheremos da nossa seifa para o Espírito, ao fazermos o bem, é a vida eterna.


Não subestime o valor desse prêmio! Vida eterna de paz, alegria e amor em abundância na presença de Cristo, que nos ama – esse é o preço de não desistir quando estamos cansadas. Essa vida que parece tão pesada e dura agora é momentânea à luz da eternidade. Não desista. Continue se esforçando; continue semeando. A recompensa é prometida e segura, e ela vale a pena.


4. Existe valor eterno no esforço.


“Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança. E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu.” (Rm 5: 3-5)


Não apenas vale a pena continuar tentando por causa da recompensa no fim da jornada, mas realmente existe uma recompensa que vem através do esforço. O sofrimento do esforço não é excluído desse versículo - o esforço produz perseverança em nós. Nosso caráter é fortemente construído enquanto lutamos e perdemos sem desistir. O fruto do autocontrole cresce doce e maduro em nossas vidas, enquanto continuamos lutando e nos disciplinando quando tudo está difícil. E quando esse caráter e fruto do auto controle se desenvolvem, a esperança cresce em nós, e a esperança duradoura de Cristo nunca nos decepcionará.


5. Sua força é perfeita na nossa fraqueza.


“Mas ele me disse: "Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza". Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte.” (2 Co 12: 9-10)

Nós podemos ter esperança em meio às nossas fraquezas, porque é onde o poder de Cristo brilha. Quando lutamos e fracassamos, chegamos ao fundo do poço. Nós percebemos que não podemos fazer nada longe de Cristo. Nós vemos a nossa dependência dEle mais claramente quando tentamos e falhamos. E quando nos voltamos para Ele em fraqueza e desespero, encontramos uma esperança que não nos desaponta. Nós finalmente percebemos que nossa fraqueza é, na verdade, uma bênção, porque nos força a olhar para nosso Salvador, que está pronto para ser a nossa força.

6. O amor inabalável de Cristo é a razão definitiva da nossa esperança.


Finalmente, nunca nos esqueçamos da razão definitiva da nossa esperança, particularmente naqueles momentos em que sabemos que fracassamos. Nós olhamos, anteriormente, para uma passagem de Romanos 5; veja agora os versículos que aparecem antes e depois dela:


“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança. E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu. De fato, no devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios. Dificilmente haverá alguém que morra por um justo; pelo homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer. Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores. Como agora fomos justificados por seu sangue, muito mais ainda seremos salvos da ira de Deus por meio dele!

Se quando éramos inimigos de Deus fomos reconciliados com ele mediante a morte de seu Filho, quanto mais agora, tendo sido reconciliados, seremos salvos por sua vida! Não apenas isso, mas também nos gloriamos em Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo, mediante quem recebemos agora a reconciliação.” (Rm 5:1-11)


A nossa maior esperança é que o amor de Cristo por nós não depende se somos fortes ou justos o suficiente para mantermos nossas promessas. Se Ele nos amou o suficiente para morrer por nós enquanto ainda éramos maus, inimigos dEle, ainda mortas em nossos pecados, então esse amor não vacilará enquando ainda lutamos contra o pecado depois da salvação. Nós temos uma paz com Deus que não pode ser abalada, pois ela depende dEle, e não do nosso desempenho. Crie coragem, querida irmã. Continue tentando; continue lutando. Não fique abatida nem desista. E, acima de tudo, regozije-se no Salvador que te ama e cumpriu perfeitamente todas as leis, a fim de reconciliá-la com Deus.


Monica Hall



Monica é esposa de pastor e mãe de seis filhos. Quando pequena, ela confiava em Cristo como seu Salvador e aprendia mais sobre Seu amor e bondade todos os dias. Ela serve em sua igreja em aulas para crianças e estudos bíblicos femininos e tem um desejo fervoroso de ver mulheres experimentarem a graça de Cristo e descobrirem a vida abundante que Ele dá. Ela foi profundamente abençoada por Revive Our Hearts e adora introduzir outras mulheres a esta mensagem de reavivamento e feminilidade bíblica.




Fonte: www.reviveourhearts.com

Traduzido com permissão.

Título original: There is Hope in Trying Again

Tradução: Ana Carolina Marafioti Espósito

255 visualizações1 comentário

11 4412-6679

"FALA COM SABEDORIA E ENSINA COM AMOR."

Proverbios 31:26