• Equipe Mulher da Palavra

O que acontece quando as coisas vão mal? por Nelson Galvão


Uma das coisas que muito me chamou a atenção na recente greve dos caminhoneiros foi a atitude de parte da população frente ao desabastecimento alimentício dos supermercados. Alguns levavam para casa fardos de alimentos para estocar. Uma mulher foi entrevistada e sem hesitação explicou: “Ah… sei que devemos pensar nos outros, mas primeiro em nós mesmos!” Interessante! Basta as coisas saírem um pouco do trilho e imediatamente colocamos para fora o que escondemos com tanto cuidado. Os dissabores têm a capacidade de mostrar para nós mesmos quem somos e a imagem refletida no espelho não é tão agradável quanto imaginávamos.

Quando Paulo escreve aos filipenses, estes enfrentavam situações externas e internas na igreja que lhes desafiavam a viver o cristianismo genuíno. O capítulo 2 começa com um “portanto”, o que nos conecta com a sessão anterior. Em Fl 1.27-30, Paulo exorta os Filipenses a proceder de tal forma, diante do sofrimento pelo Evangelho, que Cristo seja exaltado. “Portanto”; ou seja, “sendo assim”, ou, “tendo isso em mente”, em Fl 2.1-4, Paulo os exorta a viver de maneira coerente com o cristianismo que eles professavam. Em outras Palavras, Paulo diz: Uma vez que vocês já experimentaram dos privilégios da vida cristã, então expressem isso com as mesmas atitudes de Cristo.

Note que no capítulo 2.1 Paulo remonta às bênçãos da vida cristã. Ele usa a expressão “se” 4 vezes para chamar a atenção para a realidade que os crentes já possuem em Cristo: Exortação (ensino), consolo de amor, comunhão do Espírito, sentimento profundo ou compaixão. E os Filipenses tinham isso! Experimentavam da comunhão mútua pelo Evangelho. Isso é visto desde o início do cap. 1, onde Paulo menciona a cooperação deles no Evangelho (1.5) e a participação nos seus sofrimentos (1.7).

Esse é o fundamento da exortação de Paulo. Agora ele segue com a exortação propriamente dita: Uma vez que vocês já experimentam da realidade das bênçãos em Cristo, agora vivam de acordo com essa realidade. Tenham atitudes que expressem quem vocês são em Cristo. Que atitudes são essas? Veja o cap.2.2-4:

2 completem a minha alegria, tendo o mesmo modo de pensar, o mesmo amor, um só espírito e uma só atitude.

3 Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos.

4 Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros.

1 – Unidade – Perceba como Paulo descreve essa atitude:

O mesmo modo de pensar; O mesmoamor; O mesmo ânimo; Pensando a mesma coisa

Interessante! O que acontece quando as coisas vão mal? Ira, acusações, brigas! O que acontece quando as finanças não estão do jeito que foi planejado? O casal começa a se desentender! O que acontece quando situações adversas nos batem à porta sem sequer avisar? Atritos. É curioso que Paulo menciona (1.15,17) algumas pessoas que pregavam a Cristo por inveja e discórdia!

Entretanto, Paulo aqui afirma que entre os cristãos deve ser diferente. A unidade entre os crentes deve ser uma expressão da sua fé, e isso, mesmo em meio a circunstâncias adversas.

2- Humildade – Veja que Paulo se utiliza aqui de um recurso literário chamado “paralelismo antitético”, que coloca uma sentença em oposição a outra:

Não façais nada por rivalidade nem por orgulho,

mas

Com humildade e assim cada um considere os outros superiores a si mesmo.

O que acontece quando as coisas vão mal? Sempre aparece um salvador! Sempre aparece aquele dizendo que tem a solução! “Eu consigo, eu posso, eu faço melhor”! Quando olhamos para as dificuldades do outro pensamos: “Eu teria feito diferente e não estaria nessa situação!”

Por isso essa exortação de Paulo é tão chocante! A exortação bíblica a como deve ser a vida cristã é: “cada um considere os outros superiores a si mesmo”. Entre os cristãos, só existe um Salvador: Cristo. Não existe aquele que se apresenta como o brilhante, o estrategista, o visionário.

3- Serviço– Mais uma vez Paulo se utiliza do paralelismo antitético:

Cada um não se preocupe somente com o que é seu,

mas

também com o que é dos outros.

O que acontece quando as coisas vão mal? A sociedade moderna é competitiva e hiperindividual (infelizmente essa cultura permeia até mesmo alguns crentes). São pessoas encerradas em sim mesmas. Seus relacionamentos, quando existem, são marcados pela superficialidade e utilitarismo. Nas dificuldades, fecham-se ainda mais. São incapazes de perceber o outro, ao lado! Temos até um ditado para isso: “farinha pouca, meu pirão primeiro”.

Entretanto, Paulo nos faz entender que não existe cristianismo individualista, são dois conceitos que se chocam. É curioso que Paulo menciona a oferta que as igrejas da Macedônia enviaram para os crentes de Jerusalém (Rm 15.26; 2 Co 8.1-5). Entre essas igrejas da Macedônia estavam os filipenses! O mais incrível: fizeram isso com muita alegria, mesmo em “extrema pobreza” (2 Co 8.2).

O verdadeiro cristianismo vai muito além do domingo! Ele se expressa através de atitudes de unidade, humildade e serviço em todos os âmbitos da vida, seja no trabalho, na família, ou na escola. O mais incrível, a fé cristã se dá mesmo em circunstâncias das mais adversas, prevalecendo sobre o egoísmo, soberba e individualismo humanos que se tornam evidentes em dias difíceis.

Nelson Galvão

Confira também as pastorais anteriores em Filipenses:

Valeu a pena! Filpenses 1.27-30

As lágrimas e o avanço do Evangelho. Filpenses 1.12-26



Atua como diretor pedagógico do ministério Pregue a Palavra, como coordenador do grupo do Pregue a Palavra de Cuba e como professor convidado da Escola de Pastores PIBA.

#NelsonGalvao #Pastorais

0 visualização

11 4412-6679

"FALA COM SABEDORIA E ENSINA COM AMOR."

Proverbios 31:26