• Equipe Mulher da Palavra

A Mulher Moderna – PARTE II. por Nancy DeMoss Wolgemuth


Palavras que Edificam

1.     1. A mulher sábia eleva o espírito do seu lar falando palavras de louvor a Deus e palavras de apreciação sincera, gratidão e admiração aos outros. Palavras críticas e que diminuem ferem o espírito e destroem a atmosfera do lar.

2.     2. Sempre que necessário, a mulher humilde deixará um exemplo para aqueles ao seu redor, sendo rápida em admitir que errou e buscandoo perdão daqueles a quem ela feriu. A mulher orgulhosa é rápida em identificar as falhas dos outros, mas não está disposta a confessar as suas próprias.

3.     3. Talvez a maneira mais poderosa de uma mulher influenciar sua família e os outros a serem justos seja uma oração de fé em favor deles. De fato, um autor sugere que “possivelmente, o destino de nossa nação seja decidido na pia da cozinha numa oração não vista do que no gabinete do Presidente.”

4.     4. Um lar, uma igreja e uma nação são edificadas quando mulheres falam palavras de sabedoria (Pv. 31.26), ou seja quando nossas palavras são governadas pela Palavra de Deus. Mas a mulher tola não está disposta a segurar sua língua e é rápida em falar o que pensa, independente de se suas palavras são validadas pela Palavra ou não.

5.     5. A mulher de Deus ministrará àqueles que ela ama com palavras de bondade (Pv. 1.26). Com palavras ternas e encorajadoras, ela ligará espíritos quebrados, fortalecerá os fracos e ajudará a curar feridas de rejeição e mágoa. A mulher tola, por outro lado, inflige lanhas com sua língua. Palavras que exprimem ira, dureza, depreciativo, exigência e impaciência arrasam as vidas daqueles que ela toca. Talvez o maior prejuízo seja feito em seu próprio casamente quando ela responde às ofensas com ameaças verbais de deixar seu marido. Tais ameaças, mesmo se nunca levadas a cabo, plantam sementes de desintegração no casamento, que podem ser removidas somente com humildade e arrependimento.

Ações que Edificam

1.     1. Um lar é construído com atos de obediência que brotam de um coração submisso e que confia em Deus. Nesta área, talvez mais que em qualquer outra, a esposa, por sua obediência ou desobediência, influencia a vida e o comportamento dos filhos. Paulo avisa que se as esposas não obedecem a seus maridos, as palavras de Deus serão “blasfemadas”. Tanto aqueles dentro de casa quanto fora rejeitarão a Palavra que viram rejeitada por uma mulher rebelde e resistente.

2.     2. Uma mulher sábia é diligente em servir e atender as necessidades de sua família e dos outros. Ela “não come o pão da preguiça” (Pv. 31.27). Ela devotou sua vida a servir àqueles a quem ela ama, enquanto confia em Deus para atender suas próprias necessidades. Servir é o campo peculiar das mulheres como “ajudadoras”. De fato, o relacionamento de Jesus com as mulheres que O seguiam era distinto do Seu relacionamento com os discípulos homens de uma maneira bastante notável: Ele ministrava aos homens, mas as mulheres ministravam a Ele. Nos Evangelhos, sempre que se fala de ministério como sendo dado diretamente a Jesus, é o ministério dos anjos ou das mulheres.

A atitude do coração de um servo é lindamente ilustrada na resposta de Maria quando o anjo lhe disse que ela fora escolhida para dar vida ao Filho de Deus. Sabendo da inconveniência e sacrifício que seriam necessários, Maria humildemente respondeu “Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra (Lucas 1:38)”. A mulher que busca ser servida e que se ressente do seu chamado para servir destruirá seu lar.

3.     3. Um lar temente a Deus exige uma mulher pura em cada aspecto. Ela não pode encher sua mente com livros, revistas, música ou programas de televisão sugestivos ou impuros, sem convidar o ataque de Satanás à sua casa. Até mesmo muitos romances “cristãos” e artigos de revistas podem levar uma mulher a viver num mundo de fantasia, ao invés de preencher sua mente com pensamentos puros e leais a seu marido.

Em seus relacionamentos com homens, a mulher sábia será discreta, ao invés de agressiva, ousada ou ficar flertando. Ela fugirá de qualquer situação ou relacionamento que possa minar ou ameaçar seu relacionamento com seu marido.

4.     4. Finalmente, uma mulher sábia reconhece e se deleita em seu chamado para ter filhos e para ser uma professora e cuidadora dos filhos que Deus lhe der. Ela cumpre a instrução bíblica de ser uma “operosa dona de casa” (Tito 2.5) e está disposta a sacrificar a “realização”, o desafio, a liberdade, ou a renda extra oferecida por uma carreira fora de casa, para devotar a si mesma ao seu primeiro chamado como esposa e mãe.

Lydia Sigourney, uma educadora cristã do século passado, escreveu a respeito das responsabilidades das jovens como mães. Ela disse aos homens “Considerem-nas responsáveis pelo caráter da próxima geração. A força da nação está nos lares de seu povo.”

Joquebede nunca teve reconhecimento nos livros de história. Esta mãe judia teve influência direta sobre seu filho por 4 ou 5 anos no máximo. Mas com os olhos da fé, ela visualizou o propósito único que Deus tinha para seu filho. Ela o discipulou a respeito da vontade e da Palavra de Deus. Ela o ensinou que os prazeres do pecado são somente temporais e que a obediência tem recompensas eternas. Oitenta anos mais tarde, Moisés encarou uma escolha. Ele poderia ter passado o resto de sua vida no palácio egípcio, aproveitando sua fama, luxo, facilidade e prosperidade. Ao contrário, ele escolheu identificar-se com o estigma e opressão do povo de Deus, resultando na salvação de toda uma nação. Eu creio que as raízes desta decisão serão encontradas em uma mãe discipuladora e comprometida.

Chamado ao Arrependimento e Restauração

Assim como em qualquer área da vida, a maneira de Deus pensar é exatamente o oposto da maneira do homem pensar. Agora mais do que nunca, há uma necessidade desesperada por nós como mulheres que identificam onde erramos e nos comprometamos com o plano de Deus para nossas vidas e para sermos diferentes – deixar que nossas vidas ofereçam uma alternativa à vida egoísta e conter as vozes poderosas do nosso tempo que tentam negar e desafiar a ordem criada por Deus para homens e mulheres.

Nunca é fácil nadar contra a maré, mas é exatamente o que devemos fazer se quisermos reaver o terreno que foi perdido por nossas escolhas tolas e pecaminosas.

Eu pessoalmente acredito que nossas atitudes, valores e comportamento como mulheres cristãs tem causado um dano incalculável à condição espiritual de nossos lares e igrejas e consequentemente, à nossa nação.

Estou convencida de que antes que experimentemos um avivamento genuíno pelo qual ansiamos em nossos lares e igrejas, nós, como mulheres, teremos que nos arrepender e retornar ao propósito para o qual Deus nos criou.

Que Deus nos conceda um novo derramamento de humildade, quebrantamento, obediência e fé, para que Ele possa usar as nossas vidas como instrumentos de justiça e reavivamento para Sua glória!

Nancy DeMoss Wolgemuth

Confira aqui a primeira parte desse texto: A Mulher Moderna – PARTE I.



Fonte: Revive our hearts. Website: reviveourhearts.com.

Traduzido com permissão. 


Título original:  Today’s Woman


Tradução: Viviane Andrade




Nancy Leigh DeMoss é apresentadora de dois programas de rádio nos Estados Unidos: Revive Our Hearts [Aviva nossos corações] e Seeking Him [Buscando a Deus]. Seus livros já venderam mais de um milhão de cópias. Tem trabalhado desde 1980 na organização cristã Life Action Ministries. Também é organizadora do livro Mulher Cristã: repensando o papel da mulher à luz da Bíblia, publicado por Vida Nova.

#FeminismoXBiblia #NancyLeighDeMoss

11 visualizações

11 4412-6679

"FALA COM SABEDORIA E ENSINA COM AMOR."

Proverbios 31:26