• Equipe Mulher da Palavra

Ansiedade, por Jerry Bridges

           A vida é quase sempre difícil, e muitas vezes dolorosa. A possibilidade de meu carro pifar durante uma viagem de férias é uma dificuldade. A possibilidade de eu sofrer um acidente e ficar paralítico é um sofrimento. […]

           Há algum tempo, pesquisei todo o Novo Testamento em busca de situações em que os diferentes traços do caráter cristão fossem ensinados por preceitos ou por exemplos. Encontrei vinte e sete. Talvez você não se espante ao saber que o amor é o mais ensinado- cinquenta vezes. Agora, pode-se surpreender com o fato de humildade ter chegado perto- quarenta vezes. Mas o que me deixou de boca aberta foi a confiança em Deus, que em todas as circunstâncias pegou o terceiro lugar- é ensinada treze vezes.

          O oposto de confiar Deus é a ansiedade ou frustração, e Jesus falou muito sobre a ansiedade. O texto que mais se destaca é Mateus 6.25-34, em que Jesus faz cinco referências à ansiedade ou à inquietação. Não devemos ficar ansiosos com o que iremos comer, beber ou vestir, e nem mesmo com as circunstâncias desconhecidas do amanhã.

          Outra expressão que Jesus usa em relação a ansiedade é: “ Não Temais”. Paulo repete essa admoestação contra a ansiedade quando diz em Filipenses 4.6: “ Não andeis ansiosos por coisa alguma “ e Pedro acrescenta. “ Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, pois ele tem cuidado de vós” ( 1 Pe 5.7).

           Quando dizemos a alguém : “Não fique ansioso” ou “Não tenha medo”, estamos simplesmente tentando encorajar a pessoa ou corrigi-la com a intenção de ajudar. Todavia, quando Jesus  (ou Paulo, ou Pedro, que escreveram por inspiração divina) nos diz: “ Não fiquem ansiosos”, tal frase tem a força de uma ordem moral. Ou seja, a vontade moral de Deus é que não vivamos ansiosos. Ou, sendo mais explícito, ansiedade é pecado.

             Ansiedade é pecado por dois motivos. Primeiro, como já mencionei, é a falta de confiança em Deus. Em Mateus 6.25-34, Jesus argumenta que, se o Pai celeste cuida das aves do céu e dos lírios do campo, não irá cuidar ainda mais de nós e de nossas necessidades? E Pedro disse que a razão para lançarmos nossa ansiedade em Deus é que ele se importa conosco.

             Assim, quando permito que a ansiedade me domine, estou na verdade, acreditando que Deus não se importa comigo e não irá cuidar de mim na situação que está me deixando ansioso.

             Imagine que alguém amado lhe diga: “Não confio em você. Não acredito que você me ame e cuidará de mim.” Que afronta!!!Mas é isso que dizemos a Deus com nossa ansiedade.

            A Ansiedade também é pecado porque significa recusar a providência de Deus em nossas vidas. A providência divina pode ser definida simplesmente como Deus orquestrando todas as circunstancias e eventos do universo para a sua glória e para o benefício de seu povo.

             Alguns cristãos tem dificuldade de aceitar que Deus realmente controla todos os eventos e circunstâncias; até alguns de nós que acreditamos, muitas vezes, perdemos de vista essa gloriosa verdade. Em vez de crermos, somos propensos a nos concentrar nas causas imediatas da ansiedade em vez de lembrarmos que elas estão sob o controle soberano de Deus.

            Tenho que confessar que a ansiedade é uma das minhas tentações mais persistentes. Não que eu viva com medo  de o céu desabar na minha cabeça. Aliás, sou mais tentado a ficar ansioso quando viajo de avião, o que faço com frequência.

              Quase sempre, minhas viagens aéreas envolvem conexões. Geralmente o primeiro voo, que sai da minha cidade, está atrasado, o que significa que no próximo aeroporto tenho que correr para não perder a conexão. Assim, a tentação da ansiedade bate à porta. Será que vou conseguir fazer a conexão? Geralmente sou escalado para dar meus seminários pouco tempo depois de chegar ao destino, então é importante não perder o voo. […]

             Meu esquema é chegar ao destino na hora programada e relaxar um pouco antes do seminário.  Mas, e se Deus tem um esquema diferente? E se o plano de Deus é que eu chegue atrasado a reunião, ou nem chegue? Sucumbirei à ansiedade e terei um ataque de fúria, ou acreditarei que Deus está no controle absoluto de minha viagem e aceitarei ao esquema Dele, seja lá qual for?

              Em minhas lutas contra a ansiedade nessa área, cheguei a conclusão de que ela é desencadeada mais pela minha indisposição de aceitar em submissão e alegria Seu plano para mim do que pela falta de confiança em Deus.

              Minha tendência é pensar: Senhor, é importante que eu chegue…se eu não chegar o que eles vão fazer? Mas aprendi a dizer a mim mesmo: Senhor, a reunião é sua. Se o senhor não me quiser lá, o problema é seu…Deus aceito seu esquema para esta situação, seja ele qual for.[…]

            Devemos aceitar a vontade providencial de Deus, seja em qualquer situação, mas isto não significa que deixaremos de orar sobre o resultado final. A ordem de Paulo para não ficarmos ansiosos, vem acompanhada da instrução para orarmos sobre a causa da ansiedade. Fl 4.6

            Jesus, diante do sofrimento iminente da cruz- uma angústia que excedeu qualquer ansiedade que jamais passaríamos- orou: “ Meu Pai, se possível, afasta de mim este cálice; todavia não seja como eu quero, mas como tu queres.” Mt26.39

            Assim, podemos orar por socorro, e livramento em uma situação que desencadeia nosso estado de ansiedade, mas devemos estar sempre prontos a aceitar a vontade providencial de Deus e confiar que, não importa o resultado, sua vontade é sempre melhor do que nossos planos e desejos. […] Jerry Bridges

Extraido do Livro  “Pecados Intococáveis”. São Paulo:  Ed  Vida Nova. p. 61-63.       Publicado com permissão

Para saber mais sobre o livro, click no link abaixo: http://vidanova.com.br/429-pecados-intocaveis.html

#Livros

0 visualização

11 4412-6679

"FALA COM SABEDORIA E ENSINA COM AMOR."

Proverbios 31:26