• Equipe Mulher da Palavra

Aprenda a Discernir: Como Reconhecer e Responder ao engano na Cultura. por Nancy Demoss



O inimigo da verdade é sutil e astuto. Não devemos ficar surpresas pelo aumento das mentiras e enganos espirituais conforme nos aproximamos da volta de Cristo. A Bíblia diz que isso acontecerá (Mateus 24.11) e Deus deseja que estejamos atentos aos falsos ensinos e falsos mestres, para podermos ficar firmes em Sua Palavra. Nós devemos discernir e não apenas simplesmente aceitar o que as pessoas dizem ser verdade.

         Seja criteriosa – Aprenda a discernir entre a verdade e o engano.

         A sabedoria é a aplicação da verdade das Escrituras às nossas vidas (Tiago 1.5) e Deus quer que nós peçamos sabedoria. Mas discernimento é um passo além. Discernimento é a habilidade de julgar ou distinguir entre duas coisas usando a sabedoria da Palavra de Deus. Este tipo de julgamento não é errado. Na verdade, ele é crucial se desejamos fazer escolhas sábias.

         Nós aprendemos a distinguir entre o certo e o errado, o bem e o mal, são e insano e verdade e erro através da obra do Espírito Santo em nós. O Espírito de Deus usa a Palavra de Deus para revelar e ensinar a verdade que vem Dele (Jo 14.26; 16.12-15; 1Co 2.13-14).

         Deus exalta o discernimento em Seus filhos. No Velho Testamento, os filhos de Issacar compreenderam seu tempo e sabiam o que Israel deveria fazer – eles estavam discernindo (1Cr 12.32). No Novo Testamento, Jesus disse aos fariseus que eles deveriam ser capazes de compreender os sinais dos tempos, mas já que eles estavam mais preocupados em somar à lei, foram incapazes de discernir a verdade de Deus (veja Mt 16.1-3).

         Somar à Palavra de Deus é sempre um sinal de falso ensino. Provérbios 30.6 e Apocalipse 22.18-19 nos contam claramente que não devemos somar nem tirar da Palavra de Deus ou seremos definidos como “mentirosos”. Quando lidamos com as Escrituras de maneira incorreta, acabamos dentro de engano e ensino destrutivo.

         É responsabilidade de cada cristão discernir, mas nossa atitude ao discernir e confrontar o erro também é importante. Nós não devemos ser odiosos, questionadores ou zangados; pelo contrário, devemos expor os falsos ensinos em amor, bondade e esperança de mudança (Ef. 4.15; 2Tm 2.24-26). Devemos ouvir cuidadosamente o que é dito (Pv. 18.13) e então confrontar com a Palavra fiel (Tito 1.9), não com nossas opiniões. Deus odeia o mal, mas Ele também despreza o orgulho e a arrogância, então nossa atitude no discernimento importa para Ele (Pv. 8.13).

Esteja alerta – atenta à corrente de corrupção de nossa cultura.

         A Bíblia nos instrui à caminhar “prudentemente” (olhando ao redor), “não como néscios, mas como sábios… porquanto os dias são maus” e a entender “qual seja a vontade do Senhor” (Ef 5.15-17). Em outras palavras, precisamos estar alertas. Devemos estar conscientes do engano que encontramos na literatura, nas notícias, e em outras mídias. Precisamos aumentar em nós o conhecimento de Deus e Sua verdade, para que tenhamos Sua “sabedoria e inteligência espiritual” (Cl 1.9-10).

         O povo de Deus precisa do conhecimento da Sua vontade, Sua Palavra e maneiras de não sermos destruídos (Os. 4.6). É perigoso somar opiniões e filosofias humanas à sabedoria de Deus, assim como é tolice substituir regras e ensinos feitos por homens pela santidade bíblica e verdadeira.  2 Timóteo 3.1-5 descreve o tipo de pessoas que viverão nos últimos dias – pessoas que terão “aparência de piedade” ao mesmo tempo em que negarão o poder de Deus. As pessoas estão famintas de espiritualidade hoje, mas eles recusam os padrões santos das Escrituras.

         Uma das palavras chave na cultura que confunde as pessoas hoje é a palavra tolerância. Nós devemos nos lembrar que tolerância é como tratamos as pessoas, mas racionalidade é como devemos tratar as ideias – e para o cristão, isso quer dizer racionalidade baseada na Bíblia. Não podemos tolerar ideias falsas. Pelo contrário, temos que separar a verdade do engano e então expor o engano.

         Duas visões de mundo estão em conflito. Uma é a visão bíblica do mundo, a outra é anti-bíblica. Os cristãos muitas vezes são acusados de ter mente estreita, mas para fazer distinções é preciso ter um pensamento estreito. Jesus falou sobre a porta estreita (Mateus 7.13-14) e vemos através das Escrituras que não existe meio termo quando o assunto é receber a salvação de Cristo e obedecer aos Seus comandos.

         Nós temos que expor e expulsar qualquer coisa que se levante contra o conhecimento de Deus e de Sua Palavra, porque algum dia toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor (2 Co 10.3,5; Fl 2.10-11). Jesus deve ser o Senhor de nossas mentes. Ele exercita Sua autoridade através da Palavra, então devemos ter certeza de que estamos pensando biblicamente.

         Seja bíblico – Saiba e ensine a verdade e mostre-a em sua vida.

         As pessoas que trabalham em bancos estudam o dinheiro verdadeiro, para que reconheçam notas falsas. De forma semelhante, se quisermos reconhecer os lobos em pele de cordeiro, devemos saber como um verdadeiro cordeiro se parece! Uma vez que o mal se disfarça como verdade – e lembre-se, Satanás se disfarça como um anjo de luz (2Co 11.14) – devemos estudar a Palavra de Deus para que possamos reconhecer o erro. Até mesmo em algumas igrejas evangélicas, as pessoas não estão sendo ensinadas o conselho integral de Deus. É importante ancorar nossas vidas no caráter de Deus (2Pe 1.3) e conhecer Seus padrões para uma verdade imutável, de modo que não sejamos lançados na direção errada pelas filosofias do mundo que estão sempre mudando (2Tm 2.15).

         Deus não quer que sejamos bebês espirituais. Ele quer que sejamos maduros em Cristo para que não sejamos jogados de um lado para o outro por esquemas e ensinos tolos ou falsos (Ef 4.13-15). Ele deseja que cresçamos no conhecimento e no discernimento, porque Ele odeia “todo caminho de falsidade” (Sl 119.104).

         Da mesma forma, Deus não quer Seus filhos caindo nas armadilhas do inimigo. Se meditarmos nas Escrituras, será menos provável cairmos no conselho dos ímpios (Sl 1.1-2). É importante vir até a Palavra de Deus humildemente – como uma criancinha – sem qualquer motivo oculto ou tendencioso, pedindo ao nosso Pai celestial para nos ensinar (Mt 11.25; 1Co. 1.19-20). Também é importante receber ensino bíblico sólido e ter comunhão com cristãos fortes. Deus quer que exercitemos nossos sentidos e que busquemos fielmente como viver por Ele (Hb 5.14). Precisamos de exposição diária à Palavra de Deus para que sejamos capazes de discernir o que é melhor e sermos “puros e irrepreensíveis” (Fl 1.10).

         A verdade é a mais poderoso corretivo para o engano. Uma vez que conhecemos a verdade, vamos desejar compartilhá-la com outros que caíram no engano, aqueles que foram iludidos por falsos ensinos. Nós devemos ensinar e viver a verdade de Deus. Nós podemos ajudar outros crentes a permanecer na liberdade de Cristo e não se deixarem “submeter novamente a um jugo de escravidão” (Gl 5.1).

         Seja Corajoso – Identifique e Exponha as Obras da Escuridão

         Deus quer que defendamos o evangelho (1Co 15.1) expondo as mentiras. Devemos identificar as fontes do engano que possam estar influenciando nossas vidas ou as vidas daqueles a quem amamos. Talvez seja uma seita, um pensamento de Nova Era, ou mentiras teológicas. 1 João 4.1 nos instrui a discernir os espíritos, tentando determinar se eles vêm de Deus. Quaisquer que sejam suas palavras – se são faladas por pregadores, professores, psicólogos, autores, apresentadores de televisão ou locutores de rádio – todos os ensinos devem ser julgados pela eterna Palavra de Deus (João 17-17b).

         O caráter e os métodos dos falsos mestres são expostos nas Escrituras:

· Eles pregam outro Evangelho e um Jesus diferente daquele revelado nas Escrituras (1Co 16.22; 2Co 11.4; Gl 1.6-9).

· Eles “falam de visões inventadas por eles mesmos, e que não vêm da boca do Senhor”. (Jr 23.16) e profecias mentirosas no nome de Deus, tentado fazer o Seu povo esquecer Dele e de Sua Palavra (Dt 18.20-22; Jr 23.25-27).

· Eles exoneram a culpa e justificam o pecado, chamando o mau de bem e o bem de mau (Is 5.20).

· “conquistam mulherzinhas sobrecarregadas de pecados” – mulheres que estão sempre aprendendo alguma nova verdade mas nunca abraçam a verdade. (2Tm 3.6,7).

· Eles introduzem “secretamente heresias destruidoras” (2Pe 2.1).

· Causam dissensão na igreja (Rm 16.17) e pessoas “ignorantes e instáveis” seguem seu exemplo e torcem as Escrituras para seus próprios propósitos (2Pe 3.16). Falsos apóstolos muitas vezes parecem ser apóstolos de Cristo (2 Co 11.13).

No fim dos tempos, os falsos Cristos se juntarão aos falsos profetas, que mostrarão “grandes sinais e maravilhas” para enganar a muitos (Mt 24.24). Os cristãos são avisados a não ter comunhão com estes mestres e suas “obras infrutíferas das trevas” mas, antes, devem reprová-las (Ef 5.11). Também devem tomar cuidado para não serem escravizados por suas filosofias vãs e enganosas (Cl 2.8). Os falsos mestres recebem seu poder de Satanás e devemos ser corajosos e vigilantes contra este inimigo astuto que busca nos tragar (1Pe 5.8-9a).

Esteja em Oração – Interceda por aqueles que foram pegos na armadilha de Satanás.

         Muitas vezes, a oração é o elemento esquecido na batalha contra o falso ensino. Além de compartilhar a palavra de modo gentil e firme, podemos orar – com um coração cheio de preocupação e compaixão – crendo que Deus corrigirá os “que se lhe opõem, e os levará “ao conhecimento da verdade, para que assim voltem à sobriedade e escapem da armadilha do diabo, que os aprisionou para fazerem a sua vontade.” (2 Timóteo 2:25,26)

         Também podemos orar por aqueles que tornaram-se presas destes mestres, para que reconheçam os falsos ensinos e abracem a verdade da Palavra de Deus. Devemos estar alertas e ficar em oração pelos crentes em todo lugar, para que fiquem firmes na justiça e na verdade (Efésios 6.18).

         Devemos ser “criteriosos e sóbrios” e desenvolver um discernimento agudo em nossas orações (1 Pedro 4.7). Assim como o Rei Salomão pediu sabedoria para que pudesse discernir sabiamente e governar bem o seu povo (1 Reis 3.5-14), também nós devemos orar por entendimento, conforme buscamos a sabedoria e a verdade na Palavra (Salmos 119.125, 130).

Seja proativa – Proteja-se contra o veneno do erro

         Não existe uma dose segura de veneno, então devemos ser cuidadosos acerca do que permitimos entrar em nossas vidas. É sábio nos cercarmos, bem como aqueles a quem amamos com um entendimento claro do que Deus ensina em Sua Palavra. Depois de orarmos pedindo proteção, podemos ficar firmes com o “cinturão da verdade” (Efésios 6.14a). Na verdade, devemos vestir toda a armadura de Deus, pois nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas contra os “príncipes das trevas deste século” (Efésios 6.12-17).

          Para sermos proativos, precisamos aprender a manusear as Escrituras corretamente, sabendo estas verdades acerca da Palavra de Deus:

· Ela é eterna e imutável (Salmo 119.89)

· Ela é confiável (Salmos 119.138)

· É útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça (2 Timóteo 3:16). Ela se origina no próprio Deus, através do Espírito Santo (2 Pedro 1.20-21).

· Ela será cumprida – diferente das profecias dos falsos mestres (Dt. 18.22; Mt. 5.18); Lc. 24.44).

· Ela é compreendida através do ensino do Espírito Santo (Jo 14.26; 16.13; 2 Co. 1.13).

· Ela fala a verdade e não pode ser alterada (Dt. 4.2; 12.32; Pv. 30.5-6; Ec. 12.11-12; 1Co. 4.5-6; Ap. 22.18-19).

· Ela tem unidade, não é contraditória, nem inconsistente (Nm.23.19; Sl. 119.160; Mt. 4.4; At. 20.27).

· Ela é o padrão para testar todos os ensinos espirituais (At.17.11; 2Co. 11.4; 1Ts 521; 1Jo 4.1).

Nós testamos os ensinos através das perguntas que fazemos. O ensino apresenta Jesus da maneira bíblica (Jo 8.24; 10.33)? O ensino representa a verdade do Espírito de Deus – conforme descrito na Palavra de Deus – ou outro espírito? A mensagem é consistente com as Escrituras que ensinam a morte física, o sepultamento e a ressurreição de Jesus Cristo e a salvação apenas pela graça (1Co. 15.1-4; Ef. 2.8-9)?

Com o aumento do erro espiritual nestes dias perigosos, devemos ter coragem para confrontar os falsos ensinos com segurança, compaixão e sabedoria. Nós devemos conhecer, compartilhar e viver a verdade, em oração, pedindo a Deus que nos use para mudar os corações e mentes daqueles presos nas mentiras de Satanás. 

Nancy Demoss Wolgemuth

Fonte: Revive our hearts. Website: reviveourhearts.com.

Traduzido com permissão. 


Título original:  Learn to Discern: How to Recognize and Respond to Error in the Culture.


Tradução: Viviane Andrade





Nancy Leigh DeMoss é apresentadora de dois programas de rádio nos Estados Unidos: Revive Our Hearts [Aviva nossos corações] e Seeking Him [Buscando a Deus]. Seus livros já venderam mais de um milhão de cópias. Tem trabalhado desde 1980 na organização cristã Life Action Ministries. Também é organizadora do livro Mulher Cristã: repensando o papel da mulher à luz da Bíblia, publicado por Vida Nova.

#NancyLeighDeMoss

1 visualização

11 4412-6679

"FALA COM SABEDORIA E ENSINA COM AMOR."

Proverbios 31:26