• Equipe Mulher da Palavra

Recado aos sonhadores. por Bianca Bonassi Ribeiro


O objetivo desse texto é encorajar sonhadores, além de promover e despertar novos sonhos. Entretanto, esse artigo, também tem o foco de provocar uma auto-avaliação de cada sonho, no intuito de saber se ele está dentro da vontade de Deus.

Em primeiro lugar, é necessário definir a palavra sonhodentro do contexto em que esse artigo se propõe apresentar. Portanto, para simplificar esse processo vamos ao dicionário Michaelis[1]:

Sonho: palavra oriunda do latim somnium, que possui vários significados. Dentre eles, conjunto de pensamentos, imagens, ideias e fantasias que se experimenta enquanto dorme. No entanto, o mesmo dicionário apresenta o sentido figuradoda palavra, que é um desejo vivo, intenso, veemente e constante. Um ideal ou ideia dominante que se persegue com interesse e paixão.

Sendo assim, para esse artigo o sentido figurado de sonho é o que será usado. O que popularmente chamamos de sonho, nada mais é do que um forte desejo. Sendo assim, a Palavra de Deus tem muito a nos ensinar sobre esse tema.

Um segundo ponto importante, trata-se de saber distinguir duas diferenças do termo desejo, porque isso facilitará a compreensão do enfoque desse estudo. Por exemplo, quando dizemos que estamos com desejo de tomar sorvete não se trata de um sonho, mas de uma vontade imediata. Por outro lado, quando desejamos fazer um curso de graduação, por exemplo, esse anseio pode ser considerado um desejo do tipo sonho, pois demanda esforço, ação continuada, planejamento, finalização de etapas, além de recursos intelectuais, físicos e monetários. Por isso, muitas pessoas desistem ou nem tentam realizar sonhos.

Os meus pais tinham o sonho de ver os quatro filhos deles formados na faculdade. Isso era muito importante para eles e desde muito pequena me lembro do quanto eles valorizavam os estudos. Boa parte de nossa vida escolar (minha e de meus irmãos) foi em colégio público, mas assim que a situação financeira melhorou, meus pais nos colocaram em escola particular. O esforço deles em nos fazer querer estudar foi tão grande, que os quatro filhos não só finalizaram a graduação, mas continuaram a estudar depois de terminarem o bacharelado. Isso porque nós, os filhos, passamos a ter nossos próprios sonhos quanto aos estudos. Me lembro de fazer três vezes a prova para o mestrado na Universidade Presbiteriana Mackenzie, até que na terceira tentativa fui aprovada. Até hoje ainda tenho sonhos com relação aos estudos!

Na vida de um cristão, Deus o convida, o estimula a sonhar, mas sempre dentro da vontade D’Ele. “Pois é Deus que efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele” (Fp 2.13). Isso nos leva a entender que não é todo e qualquer sonho que automaticamente está dentro da vontade do Pai. Por isso a necessidade de analisar nossos sonhos à luz da Palavra de Deus. Também é imprescindível ter em mente que o Realizador de Sonhos é Deus e não nossos próprios esforços. Por outro lado, esse Realizador de Sonhos nos permite participar do processo com a finalidade de crescermos no conhecimento e dependência D’Ele. Em outras palavras, Deus em sua soberana graça, nos permite tomar decisões em busca dos nossos sonhos. Um outro ponto a ser ressaltado é o fato de que o caminho para a realização dos sonhos é, em geral, difícil e doloroso.

O trajeto, percurso para a realização de sonhos pode ser um instrumento de santificação que nos aproxima de Deus e faz com que aprendamos submissão, humildade e confiança em N’Ele. Ao mesmo tempo tem o objetivo de produzir alegria e glórias a Deus quando finalmente o Realizador de Sonhos nos permite alcança-lo.

Como exemplo desse árduo caminho em direção à realização de um sonho, a Palavra de Deus apresenta, o sonho de ir à Roma, do apóstolo Paulo. A trajetória de Paulo, em busca desse sonho, tem me ensinado e encorajado muito.

Paulo, era um visionário focado em pessoas. Depois de sua conversão ele viajou por várias cidades para apresentar o caminho para salvação eterna, por meio do sacrifício de Jesus, na cruz. Em determinado momento ele sentiu o desejo de visitar Roma, para que ali tivesse um tempo de refrigério e pudesse fortalecer os cristãos daquele lugar (Rm 15.23-24). Entretanto, Paulo embora tenha tentado ir à Roma muitas vezes, foi impedido de faze-lo e esse impedimento ocorreu por parte do Realizador de Sonhos. Isso ficou evidente na carta que ele escreveu aos romanos:

Deus, a quem sirvo de todo coração pregando o evangelho de seu Filho, é minha testemunha de como sempre me lembro de vocês em minhas orações; e peço que agora, finalmente, pela vontade de Deus, seja-me aberto o caminho para que eu possa visita-los[…]Quero que vocês saibam, irmãos, que muitas vezes planejeivisita-los, mas fui impedido até agora (Rm 1.9-13a – grifo meu).

Esse texto possui grandes ensinamentos a nós sonhadores. Primeiro, Paulo vivia para obedecer a Deus e isso lhe dava segurança de que o seu sonho não conflitava com os planos de Deus, ou seja, tratava-se de algo apropriado à sua trajetória de vida com Deus. Portanto, sonhos não são projetos loucos que nada tem a ver com o curso natural e contexto de nossas vidas. Segundo, Paulo era submisso à vontade do Realizador de Sonhos, isso porque ele pedia a Deus que o caminho lhe fosse aberto, também entedia que se ele ainda não tinha realizado o sonho é porque Deus o havia impedido. Assim, devemos ser humildes e submissos diante da soberania de Deus em conduzir nossas vidas, podemos e devemos pedir que o caminho seja aberto, mas entender e aceitar quando isso não acontece. Terceiro aprendizado, Paulo planejava, ele tomava decisões em busca da realização do seu sonho. Isso mostra que ele fazia o possível, buscava as oportunidades para que o sonho pudesse acontecer, quando as portas se fechavam não era negligência dele, mas a soberana vontade de Deus. Diante disso, nós temos a responsabilidade de agir, porque o Realizador de Sonhos é o responsável por abrir ou fechar as portas.

Após muitos anos, Paulo realizou o sonho de ir à Roma, mas isso aconteceu depois de um longo e sofrido percurso e de uma forma inusitada, até mesmo para Paulo. O trajeto da realização desse sonho passou por muitas etapas desde as primeiras tentativas até a realização final.

Quando Paulo escreveu a carta aos Romanos dizendo que já tinha tentado visita-los, mas tinha sido impedido, ele estava na Grécia. No entanto, Paulo foi conduzido, por Deus, a voltar à Jerusalém (Rm 15.25). Humanamente pensando, era mais fácil viajar da Grécia para Roma, a distância é menor, mas o Realizador de Sonhos não pensa como seres humanos! Aprendemos então, que Paulo, estava mais interessado em obedecer a Deus do que realizar seu sonho.

Ao chegar em Jerusalém, Paulo, o servo obediente, foi recebido com alegria pelos irmãos em Cristo (At 21.17), mas havia pessoas que o odiavam e injustamente o acusaram, o que resultou em seu aprisionamento por parte do governo romano (At 21.27-35). Na prisão, Paulo recebeu o seguinte encorajamento de Deus: “Coragem! Assim como você testemunhou a meu respeito em Jerusalém, deverá testemunhar também em Roma” (At 23.11b). Humanamente pensando, com Paulo preso, não conseguimos visualizar essa possibilidade, porém, Paulo confiou na Palavra de Deus. Podemos aprender que foi na prisão, onde as circunstâncias eram completamente contrárias à realização do sonho, o lugar que Deus escolheu para lhe dizer que o sonho seria realizado.

A história continuou e depois de alguns dias Paulo foi transferido para a cidade de Cesaréia, onde permaneceu preso por dois anos, conforme o relato contido nos capítulos de Atos 23, 24, 25 e 26. Durante esse período preso em Cesaréia, Paulo teve a oportunidade de anunciar o caminho da salvação em Cristo Jesus para muitas pessoas de todas as classes sociais e níveis hierárquicos. Paulo entendia que viver para Cristo era mais importante que realizar seu sonho. Um novo aprendizado aos sonhadores de hoje, enquanto esperamos que o Realizador de Sonhos abra as portas, precisamos viver para Cristo, sendo sal e luz onde Ele nos coloca.

Finalmente o dia da viagem chegou e Paulo teve o privilégio, mesmo preso, de viajar em companhia de alguns grandes amigos (At 27.1-2). Entretanto, as dificuldades ainda persistiram, durante todo o trajeto de navio entre Cesaréia e Roma foram 8 paradas em cidades diferentes, mau tempo, uma tempestade que resultou num naufrágio, escassez de comida e uma picada de cobra, até que finalmente, ele chegou como prisioneiro que aguardava julgamento em Roma (At 27 e 28). Pouco antes do naufrágio, provavelmente quando ele já estava quase desacreditando de que o sonho de ir à Roma fosse mesmo realizado, o Realizador de Sonhos enviou uma mensagem de encorajamento: “Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe a vida de todos os que estão navegando com você” (At 27.24). Mais uma vez, um grande aprendizado a nós sonhadores. O caminho para realização de sonhos passa por grandes dificuldades, mas em todas elas temos na Palavra de Deus a força para prosseguir e o encorajamento para nos animar.

Com esse artigo, espero que continuemos a sonhar na certeza de que o Deus de Paulo também é o nosso Deus. Na certeza de que se sonharmos os sonhos de Deus, apesar das dificuldades Ele abrirá as portas e nos fará crescer em santidade. Tudo para que rendamos glórias ao nosso eterno Pai e Senhor Jesus Cristo!

Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de causar dano, planos de dar a vocês esperança e um futuro (Jr 29.11).

Amém!

Bianca Bonassi Ribeiro


[1] http://www.michaelis.uol.com.br


Bianca é casada com Luciano. Eles têm dois filhos, o Pedro e o Vitor. Ela faz parte da equipe docente da Universidade Presbiteriana Mackenzie-SP, desde 2007 e é membro da Primeira Igreja Batista de Atibaia.

Bianca é doutora em Comunicação e Semiótica, mestre em Administração e graduada em Administração de Empresas.

#BiancaBonassiRibeiro

1 visualização

11 4412-6679

"FALA COM SABEDORIA E ENSINA COM AMOR."

Proverbios 31:26