• Mulher da Palavra

Sansão

por Bianca Bonassi




A história e vida de Sansão é bem conhecida por grande parte das pessoas que vivem ou conhecem o cristianismo e a Bíblia. Durante anos, a minha leitura e aprendizado com Sansão estiveram limitados nas consequências das más escolhas, principalmente, com relação aos relacionamentos de namoro e casamento com quem não partilha da mesma fé. No entanto, a Palavra de Deus é muito rica e a vida de Sansão tem muito mais a ensinar. Sendo assim, o objetivo desse texto é aprendermos que o crescimento espiritual e a santificação nos permitem fazer boas escolhas durante nossa jornada nessa vida, mas acima de tudo nos transforma em agentes que levam outros à Vida Eterna em Jesus Cristo.


Sinceramente, se eu fosse comparar Sansão a um personagem de ficção com certeza eu o compararia a Bruce Berner / Hulk. Quando usava a cabeça era o Bruce Berner e quando agia sem pensar e apenas na força física se transformava em Hulk. Mas, ao contrário dos filmes e quadrinhos a vida de Sansão representa, simbolicamente, a vida de um cristão que não cresce espiritualmente e vive guiado pelos seus próprios prazeres e de acordo com os valores deste mundo.


Sansão nasceu num período onde a sociedade, em Israel, fazia o que parecia certo a seus próprios olhos (época dos juízes). Uma época onde os valores estavam em decadência e a adoração a Deus tinha sido substituída pela adoração a muitos falsos deuses. Nesse contexto, Deus concede a um casal (Manoá e sua esposa) um filho que deveria ser consagrado desde o ventre. A mãe de Sansão tinha sido estéril e o próprio nascimento dele já era um milagre e uma demonstração do poder de Deus, conforme apresentado em Juízes 13. Esse foi o primeiro simbolismo dessa história, pois de certa forma, ilustra o nascimento espiritual, algo humanamente impossível, mas pelo poder de Cristo Jesus, ele se torna factível.


Interessante notar que entre o nascimento e a vida adulta de Sansão, foi relatado o seguinte:


Quando o menino nasceu, ela o chamou de Sansão. O Senhor o abençoou enquanto ele crescia, e o Espírito do Senhor começou a agir nele quando ele morava em Maané-Dã, entre Zorá e Estaol (Juízes 13. 24-25 - grifo meu).


Algo curioso é que o nome Sansão significa Luz Solar[1] ou Ensolarado[2]. Sabemos que a luz do sol, além de iluminar e brilhar, é fundamental para a vida no planeta. Naquela sociedade e ao longo de todo Antigo Testamento os nomes definiam e classificavam uma pessoa. Deus permitiu que Sansão nascesse a fim de cumprir um propósito, ele deveria ser um instrumento de libertação, ou seja ele seria usado para libertar Israel das mãos de um povo opressor (Jz 13.5b).


Além do nome havia um outro símbolo que o identificava como uma pessoa consagrada para o serviço de Deus, seu cabelo que não deveria ser cortado. Esse era o sinal externo da força de Sansão. Vale lembrar que o cabelo nasce de dentro para fora e não é mera coincidência de que o sinal de consagração tenha essa característica.


O trecho de Juízes 13.24-25 apresenta que Sansão foi abençoado enquanto crescia e o Espírito agia nele. No entanto, Sansão parou de crescer física e espiritualmente. No início do capítulo 14 do livro de Juízes há um Sansão adulto que deixou-se atrair por uma moça do povo inimigo. No caminho para Timna, cidade dos filisteus, em busca de seus próprios interesses, repentinamente um jovem leão o atacou. Mas, o Espírito de Deus, bondosamente, agiu na vida de Sansão para livrá-lo e alertá-lo e a Palavra de Deus diz:


Naquele momento, o Espírito do Senhor veio sobre Sansão com tamanho poder que ele rasgou o animal pelas mandíbulas usando as próprias mãos, com a mesma facilidade que se despedaça um cabrito (Juízes 14. 6 – grifo meu).


Sansão experimentou o livramento ocorrido pelo poder de Deus, entretanto, escolheu continuar seu caminho a fim de satisfazer seus desejos e prazeres.


Os filisteus eram o povo opressor de Israel, eles tinham outros valores e outros deuses. Sansão estava decidido a seguir o seu coração e a sua vontade porque tinha sido influenciado pelos valores e deuses filisteus. Note as falas e atitudes dele:


· Sansão disse a seu pai: “Consiga a moça para mim. É ela que eu quero” (Jz 14. 3c – grifo meu);

· “Quando chegou a Timna, conversou com a moça e se agradou muito dela” (Jz 14. 7 – grifo meu);

· Sansão ofereceu uma festa conforme o costume daquele povo (Jz 14. 10 – grifo meu);

· Sansão estava acompanhado de rapazes daquele povo (Jz 14.11 – grifo meu);

· Sansão queria trinta camisas de linho fino e trinta conjuntos de roupas (Jz 14.13 – grifo meu);

· Sansão cedeu para se livrar da importunação da noiva (Jz 14. 17 – grifo meu).


Sansão havia parado de crescer espiritualmente e pouco a pouco deu lugar a uma vida centrada nos seus próprios desejos ao invés de viver como luz e levar Vida e libertação à outras pessoas.


Porém, Sansão tinha sido consagrado por Deus e uma segunda vez a misericórdia divina o livrou das consequências de sua própria tolice. Dessa vez, o Espírito do Senhor veio com poder sobre Sansão e ele obteve as roupas que deveriam ser pagas aos trinta rapazes depois de perder uma aposta (Jz 14. 14-19). Após esse segundo livramento Sansão voltou a morar com seus pais, seu povo e em sua terra.


A Palavra de Deus nos mostra que Sansão não havia aprendido a lição. O capítulo 15 do livro de Juízes começa da seguinte forma: “Algum tempo depois[...] Sansão levou um cabrito de presente para sua esposa. “Vou ao quarto da minha esposa dormir com ela”, disse ele” (Jz 15. 1 – grifo meu).


Sansão, novamente cedeu aos seus desejos, ele não aprendeu a lição e não cresceu espiritualmente, mesmo depois de experimentar a ação do Espírito de Deus. Dessa vez, como não conseguiu obter o que desejava decidiu se vingar e se afastar de todos. Em Juízes 15. 7-8 está escrito:


Sansão disse aos filisteus: “Não descansarei enquanto não me vingar de vocês pelo que fizeram!”. Ele os atacou com grande violência e matou muitos deles. Depois foi morar numa caverna na rocha de Etã (grifo meu).


Sozinho e afastado, Sansão foi entregue aos filisteus por seus compatriotas de Judá e os inimigos deram gritos de vitória, conforme descrito em Juízes 15. 12-14a. Pela terceira vez, o Espírito do Senhor veio com poder sobre Sansão e lhe deu mais uma grande vitória e livramento, de acordo com Juízes 15. 14b-17.


Pela primeira vez, Sansão reconheceu que o livramento e vitória foram oriundos de Deus. Observe o que aconteceu com ele:


Sansão sentiu muita sede e clamou ao Senhor: “Por meio da força de teu servo, concedeste este grande livramento.”[...]Então, Deus fez jorrar água de um buraco no chão em Leí. Sansão bebeu e se reanimou. [...] Sansão julgou Israel durante vinte anos, no período em que os filisteus dominavam a terra (Juízes 15. 18-20 – grifo meu).


Esse momento aponta para as palavras de Jesus, proferidas muitos anos depois, para uma mulher cuja vida abundava no pecado. Note o que Jesus disse em João 4. 13-14:


Jesus respondeu: “Quem beber desta água terá sede outra vez, mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Ao contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna” (grifo meu).


Raios de sol e água são cruciais para o crescimento da vida. Salvação em Jesus e santificação são fatores que geram vida e crescimento eternos. E por que a santificação, que nada mais é do que crescimento espiritual é tão importante?


Justamente para não acontecer o que ocorreu com Sansão. O capítulo 15 de Juízes termina com Sansão reconhecendo o livramento de Deus, bebendo a água, se reanimando e sendo juiz em Israel por vinte anos. Entretanto, a história de Sansão não termina no capítulo 15 ela continuou e o primeiro versículo do capítulo 16 de Juízes apresenta: “Certo dia, Sansão foi à cidade filisteia de Gaza e conheceu uma prostituta, com quem passou a noite.” Ao sair de Gaza arrancou os portões e trancas da cidade. Sansão mais uma vez, cedeu aos desejos de seu próprio coração. E, pior ainda, arrancou os portões e trancas para facilitar o acesso à cidade filisteia, ele facilitou o acesso para voltar a viver de acordo com os prazeres dessa vida.


A Palavra de Deus nos conta que: “Algum tempo depois, Sansão se apaixonou por uma mulher chamada Dalila, que vivia no vale de Soreque (uma cidade filisteia)” (Jz 16. 4 – grifos meu). Dalila, objeto de seu desejo, foi responsável por seduzi-lo e descobrir a razão de sua força, não para ajudá-lo a gerar vida e crescimento em Deus, mas para deixá-lo cego. Depois de um longo processo de sedução e convencimento Dalila obteve o segredo da força de Sansão e foi um instrumento usado para destruir a imagem, o símbolo que o tornava forte e consagrado a Deus. Em outras palavras, o cabelo de Sansão era o símbolo de sua força e consagração, aquilo que o tornava diferente dos demais.


Sansão dormiu no colo de Dalila, que chamou um homem para cortar seu cabelo deixando-o fraco (Jz 16. 19). Na sequência, os filisteus o capturaram, furaram seus olhos, o prenderam com correntes (Jz 16.21). Como escravo trabalhou para seus inimigos e se tornou objeto de zombaria no templo dos deuses deles (Jz 16. 21-27).


Nesse ponto da vida de Sansão, ele percebeu que havia deixado de ser Raio de Sol ou Ensolarado e não tinha sido usado para levar vida e crescimento a outras pessoas. Assim, no fim da vida, dentro do templo filisteu, Sansão orou ao Senhor: “Soberano Senhor, lembra-te de mim novamente. Por favor, ó Deus, fortalece-me só mais esta vez” (Jz 16. 28 – grifo meu). Deus ouviu a oração de Sansão logo antes dele morrer, uma oração de arrependimento sincero e consciente de estar sofrendo as consequências de uma vida focada em agradar seu próprio coração ao invés de ser instrumento de Deus e levar vida e crescimento a outras pessoas.


A vida de Sansão foi apresentada na Palavra de Deus como um sinal de alerta para todos nós. Youngblood, Bruce e Harrison (2004, p. 1301) apresentam Sansão como “um produto de seu tempo”, numa época em que cada um fazia o que era certo aos seus próprios olhos (Jz 17. 6). Mas, nossa sociedade atual não é diferente da que Sansão vivia, diariamente somos fortemente influenciados a vivermos de acordo com os valores deste mundo. E, como Sansão, quando paramos de crescer espiritualmente ficamos atraídos por aquilo que nossos olhos veem, por tudo o que é valorizado nas nossas sociedades (roupas, festas, dinheiro, popularidade, segurança e conforto material etc.) e nos esquecemos do poder do Espírito Santo que habita em nós.


Nosso desafio é crescermos diariamente a partir da leitura e vida centrada na Palavra de Deus. Que sejamos adultos espirituais, maduros na fé, entendendo que conforme crescemos o Senhor nos abençoa e o Espírito do Senhor age em nós. Dessa forma, Ele nos capacitará a sermos instrumentos que levam pessoas à vida eterna e crescimento em Jesus ao invés de sermos focados em nós mesmos.

Bianca Bonassi

[1] שִׁמְשׁוֹן Shimshôwn, shim-shone'; from H8121; sunlight; Shimshon, an Israelite:—Samson. Strong Definitions disponível em Blue Letter Bible: https://www.blueletterbible.org/lang/lexicon/lexicon.cfm?Strongs=H8123&t=KJV


[2] YOUNGBLOOD, R.F.; BRUCE, F.F.; HARRISON, R.K. Dicionário Ilustrado da Bíblia. São Paulo: Vida Nova, 2004, p. 1300.



Bianca é casada com Luciano. Eles têm dois filhos, o Pedro e o Vitor. Ela faz parte da equipe docente da Universidade Presbiteriana Mackenzie-SP, desde 2007 e é membro da Primeira Igreja Batista de Atibaia.

Bianca é doutora em Comunicação e Semiótica, mestre em Administração e graduada em Administração de Empresas


43 visualizações

11.4412-6679

"FALA COM SABEDORIA E ENSINA COM AMOR."

Proverbios 31:26